Provas de redação aplicadas em concursos de Tribunais de Justiça

TJDFT – 2013 – Técnico Judiciário – Administrativo

Informações sobre o concurso

Órgão: Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios

Ano: 2013

Cargo: Técnico Judiciário – Administrativo

Banca: Cespe

 

Orientações da banca

Nessa prova, faça o que se pede, usando, caso deseje, o espaço para rascunho indicado no presente caderno. Em seguida, transcreva o texto para a FOLHA DE TEXTO DEFINITIVO DA PROVA DISCURSIVA, no local apropriado, pois não serão avaliados fragmentos de texto escritos em locais indevidos.

Qualquer fragmento de texto que ultrapassar a extensão máxima de linhas disponibilizadas será desconsiderado.

Na folha de texto definitivo, identifique-se apenas no cabeçalho da primeira página, pois não será avaliado texto que tenha qualquer assinatura ou marca identificadora fora do local apropriado.

Ao domínio do conteúdo serão atribuídos até 10,00 pontos, dos quais até 0,50 ponto será atribuído ao quesito apresentação e estrutura textual (legibilidade, respeito às margens e indicação de parágrafos).

 

Prova de Redação – TJDFT 2013 – Técnico Judiciário -Administrativo

As recentes transformações que vêm se operando nas economias mundiais, com o crescimento do desemprego, a aparição de novas formas e(ou) a intensificação da pobreza, associados à chamada crise do estado de bem-estar social (welfare state), têm trazido à tona o debate acerca dos limites dos tradicionais programas sociais para responderem às crescentes demandas sociais, impondo, assim, novos dilemas para a intervenção pública. No Brasil, o tema da pobreza e destituição social vem assumindo lugar de destaque na agenda pública nas últimas décadas, não só devido ao número alarmante de pobres, mas também à centralidade adquirida pela discussão em torno da capacidade estatal em promover maiores níveis de equidade e justiça social.

Mônica de Castro Maia Senna et al. Programa Bolsa Família: nova institucionalidade no campo da política social brasileira. In: Revista Katálysis, v. 10, n.º 1, Florianópolis, jan./jun., 2007 (com adaptações).

Em algumas federações, o processo de construção do Estado-nação foi acompanhado de um compromisso com regras homogêneas nacionais. Tal como na Alemanha e na Áustria, o processo de construção do Estado-nação no Brasil concentrou autoridade decisória, assim como poder regulatório e de gasto, no governo central. A centralização de autoridade da União, ocorrida, na verdade, já no final da República Velha, derivou da percepção de parte das elites dos riscos para o conjunto da nação e da incapacidade das províncias periféricas de desempenharem funções governativas, seja na área social, seja na área econômica.

Na Constituição Federal de 1988, a despeito da decisão em favor da descentralização da execução das políticas, os constituintes preservaram ampla autoridade para as iniciativas legislativas da União. O caso brasileiro não constitui nenhuma peculiaridade. Na verdade, os estudos comparados revelam que a centralização é uma tendência entre as federações.

Marta Arretche. Democracia, federalismo e centralização no Brasil. Rio de Janeiro: Editora FGV; Editora Fiocruz, 2012, p. 16-7 e 180 (com adaptações).

O art. 6.º da Constituição Federal de 1988 estabelece:

São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição.

———-

Considerando que os textos acima têm caráter unicamente motivador, redija um texto dissertativo acerca do papel do Estado em face da crise econômica mundial. Ao elaborar seu texto, aborde, necessariamente, os seguintes aspectos:

– conceito de estado de bem-estar social (welfare state); [3,50 pontos]

– políticas públicas implementadas pelo governo brasileiro para a redução das desigualdades sociais e econômicas; [3,50 pontos]

– efeitos das políticas sociais empreendidas pelo governo brasileiro. [2,50 pontos]

 

Dicas da Oficina

Antes de começar a escrever, pesquise sobre o tema e anote os argumentos relevantes que encontrar.

Na hora de escrever, simule o ambiente de prova. Escreva em uma folha de redação numerada, cronometre o tempo e não se distraia. Isso fará com que você fique menos ansioso durante a prova oficial.

Corrija suas redações. Você pode pedir a um amigo, a um professor ou pode enviar seus textos para a equipe da Oficina de Redação. Nossos Planos de Correção Detalhada são praticamente cursos particulares de redação, pois identificamos e damos instruções para você corrigir todos os erros que cometer. É comum os nossos alunos garantirem notas acima de 90,0 pontos e escreverem textos excelentes em cerca de 1 hora.

Independentemente da alternativa que você escolher, corrigir os erros antes da prova é o que garantirá a sua aprovação, portanto, não deixe de fazer isso.